Field Corretora Agribusiness

O GERGELIM DO BRASIL

Por Najla Souza

O gergelim é um alimento muito consumido em países asiáticos e do oriente médio. Com propriedades benéficas à saúde e crescimento do consumo mundial, a commodity tem ganhado espaço nos campos do Brasil. De acordo com a CONAB, a produção saltou de 5 mil toneladas em 2010 para 127,8mil toneladas na safra 2019/2020.

Com origem no centro africano, com países como a Nigéria, Sudão e Etiópia como os principais produtores de gergelim, o gegelim é uma cultivar resistente às secas e comumente colhido manualmente. No Brasil, o gergelim é plantado em grandes escalas no Mato-Grosso, mais especificamente na região de Canarana-MT, sendo responsável por 90% da produção brasileira do produto.

Com características favoráveis ao plantio no Brasil, boa adaptação climática, e ciclo curto (de 90 a 100 dias, o gergelim se torna propício para rotação com a soja. Além disso o produto possui bom potencial econômico, nos mercados nacional e internacional.  Internacionalmente, a demanda é considerável, e utilizada de diversas formas: Na panificação, produção de óleo, produção de pastas como o Tahine e o Halawi, indústria cosmética, dentre outros usos.

Em 2018, as exportações brasileiras de gergelim somaram US$3,7 milhões e alcançaram US$25,4 milhões em 2019. Em 2019 os principais importadores do gergelim brasileiro foram: Vietnã (25%), Guatemala (15%), Turquia (12%) e Arábia Saudita (12%).

Para que a cultura continue a crescer no Brasil, é importante que os pesquisadores continuem a realizar o melhoramento genético da cultivar. A Embrapa tem feito um trabalho nessa direção desenvolvendo duas novas cultivares: BRS Anahi, lançada em 2016 e BRS Morena, lançada em 2020. No exterior a aderência ao produto de origem brasileira vem sido gradual, por isso é fundamental compreender as necessidades de cada mercado para adaptar a produção aos mesmos.

Para que a cultura continue a crescer no Brasil, é importante que os pesquisadores continuem a realizar o melhoramento genético da cultivar. A Embrapa tem feito um trabalho nessa direção desenvolvendo duas novas cultivares: BRS Anahi, lançada em 2016 e BRS Morena, lançada em 2020. No exterior a aderência ao produto de origem brasileira vem sido gradual, por isso é fundamental compreender as necessidades de cada mercado para adaptar a produção aos mesmos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *